Blockchain: entenda o que é e como funciona esta tecnologia

blockchain

Quando falamos sobre transformação digital muitos termos são citados. Aliás, de uns tempos para cá surgem cada vez mais inovações, que entram em nossas rotinas e quando nos damos conta já fazem parte da nossa vida. E em meio a tantas novidades, hoje queremos falar sobre uma que gera muitas dúvidas nas pessoas: o blockchain.

Quer saber mais sobre mais sobre este algoritmo que garante a segurança e a confiabilidade de diversas informações? Confira a seguir!

O que é blockchain?

Primeiramente, antes de explicar sobre como a tecnologia pode ajudar as empresas, queremos falar sobre o que é o blockchain.

Portanto, se você pertence ao povoado grupo de pessoas que não sabem sua definição, não se preocupe, pois é comum que o termo gere muitos questionamentos. 

Porém, trata-se de um algoritmo de criptografia, que consegue garantir segurança nos dados que são registrados. Ou seja, é um recurso que permite que essas informações não sejam adulteradas.

O sistema tem esse nome, pois sua base se segurança é baseada em uma série de blocos com dados desde a criação do bitcoin até agora. Assim, os blocos são criados a cada 10 minutos e podem ser acessados em tempo real pelos proprietários de bitcoins.

Com outras palavras, o blockchain é uma base de registros distribuídos e compartilhados para criar um índice global para todas as transações de um determinado mercado. Além disso, ele não serve apenas para registrar essas ações, mas também tudo que tenha um valor.

Ligação entre bitcoin e blockchain

Primeiramente, o bitcoin é uma moeda virtual que foi criada em 2008 para prevenir o gasto duplo de valores e aumentar as transações financeiras feitas na internet. Afinal, no mundo digital existe a insegurança dos dados serem copiados ou modificados.

Dessa maneira, com o blockchain, é possível eliminar esses riscos, pois ele foi desenvolvido com a determinação de que uma pessoa não pode gastar um bitcoin duas vezes ou dizer que enviou uma quantia sendo que o valor foi outro.

Como funciona?

Sem dúvidas, o blockchain foi inicialmente criado para dar suporte para a moeda digital bitcoin. No entanto, ganha cada vez mais espaço para que as informações sejam distribuídas e não copiadas.

Para que as ações utilizando moedas digitais sejam realizadas com segurança, a rede de dados dificulta que usuários passem informações mentirosas ou cometam fraudes.

A tecnologia pode ser comparada com uma biblioteca, já que as informações são armazenadas publicamente para que outras pessoas possam visualizar as movimentações financeiras. Os blocos são como livros que registram informações de moedas, sobre quem enviou, quem recebeu, quando a ação foi feita e onde está armazenada.

Os responsáveis por montar a cadeia de blockchain são chamados de mineradores.

Desse modo, reúnem as transações em blocos ligados, que são autenticados apenas quando são preenchidos.

Assim, o dinheiro virtual pode demorar a chegar até outras pessoas, mas a possibilidade do valor ser duplicado ou alterado é eliminada.

Esses dados não ficam armazenados em um único computador, mas em milhares de máquinas espalhadas no mundo. Dessa maneira, cada computador possui uma cópia das informações, que não podem ser alteradas. Aliás, quem tentar modificar os registros pode ser expulso pelo restante da rede.

Os pilares do blockchain   

Sinônimo moderno de confiabilidade, segurança de dados e transparência, o blockchain conta com quatro conceitos principais:

Ledger 

É o livro-razão, que guarda o registro dos blocos e é compartilhado por toda a rede. 

Privacidade

O blockchain oferece a possibilidade de visibilidade adequada para a rede. Ou seja, alguns dados considerados sensíveis podem ser ocultados sem prejudicar a verificação do bloco.

Contrato inteligente

São os documentos que não podem ser alterados depois de escritos. Assim, é possível firmar contratos e autorizar ações com base nos termos definidos.

Consenso

É o termo utilizado para representar que as transações são verificadas e não podem ser fraudadas.

Onde aplicar?

O blockchain pode ajudar inclusive contra a corrupção. Sem dúvidas, você já deve ter ouvido falar sobre a Operação Lava Jato e outras investigações, não é mesmo?

O blockchain pode ser eficiente caso as transações sejam feitas pelo bitcoin, pois são enviadas e ficam registradas em um banco de dados, podendo ser acessadas quando necessário. Ou seja, é possível rastrear as transações, que envolvem, inclusive, o dinheiro que pagamos impostos e confirmar para onde foi a quantia.

De fato, o blockchain não é aplicado em todos os negócios. Mas é muito eficiente para empresas que desejam armazenar seus dados com confiabilidade e transparência.

Alguns exemplos de aplicações são empresas que desejam registrar contratos, autenticar documentos, rastrear produtos ou até mesmo comercializar ingressos que não podem ser falsificados.

Voltando a falar sobre política, o blockchain pode ser muito utilizado no futuro. Aliás, as eleições sempre são alvos de grandes questionamentos. E armazenar os votos através dessa tecnologia deve ser uma alternativa para oferecer mais confiabilidade para as próximas escolhas eleitorais.

Sem dúvidas, o blockchain vai evoluir muito ao longo dos anos. Por isso, é importante ficarmos atentos aos recursos e novidades que esta tecnologia ainda vai nos oferecer.

Continue de olho em nosso blog, pois em breve teremos um texto que vai falar sobre como a Internet das Coisas está mudando o mundo.